O Homem mais Lindo.

Você, ainda é o homem mais lindo deste mundo.
No canto da foto com amigos bêbados, sorrindo,
Com cachecol, embaixo de tanta roupa, é lindo.
De costas na festa sem graça, é muita gente que
Passa, menos você, que logo acabou sumindo.

Na profunda cor azul do mar sem ondas, silêncio,
Na vermelha aurora boreal quando você era feito,
Era algo lindo que se formava naquele momento,
Nessa inacreditável mistura de cores e efeitos,
Seus olhos da cor do mar, guardando segredos.

A liberdade que você cultua, de modo tão solene.
Me deixa enciumada, insegura, triste e carente.
O que sinto por você, mais que dor é paixão,
Que me corrói por dentro, deixando-me assim
Tão triste, assim tão fraca, assim tão ausente.

Como seria maravilhoso te aspirar, te cheirar,
Beber você, injetar você em todas minhas veias,
Calar minha boca com sua boca, deixar-me pirar,
Ver o céu da sua boca, ao se jogar para trás,
Rindo de uma resposta minha, como só você faz.

Porque o mundo te acha lindo, você com leveza,
Se joga em seus braços, com a liberdade que só
Quem é infinitamente lindo ou demasiado feio.
Sou mais ou menos, como comprei sua beleza,
Sou a mulher mais linda do mundo, com certeza.

Ontem pensei um triste absurdo mas me fez feliz.
Ficar horas e horas comigo, seria uma caridade?
Somos plantas e somos pássaros tão diferentes.
Sou a bonitinha que lê livros e vê uns filmes,
E você força avassaladora, que mata e não sente.

Sem abrir a boca sua vitória é certa, acontece.
Sua beleza acalma corações, torna a vida suave.
Nunca precisa correr, o sucesso entra sem bater
E, essa força absoluta, que emana de sua alma,
Me transforma, me fortalece, brilha e me acalma.

Você põe aquele moletom surrado e cinza do surf.
Essa força da natureza que deu certo, estremeço.
Do guarda-roupas experimento tudo, até adereços
Para que, ao seu lado, de mãos dadas... apareço
E gritar sem medo: olhem pra mim! Eu mereço!

Eu sei que amar é quase uma dor, disse o poeta.
Mas não sou mulher de ter medo, e sem pressa
A deixo entrar e enfraquecer meu orgulho careta,
Esbugalhar meus sentidos,deixar-me assim alerta.

Fico calada, ouvindo o que ele não diz e vendo
O que ele não faz, pois não existe morrer só um
Pouquinho, mas meu coração, quando ele chega,
Para e pula e falha como se estivesse morrendo.

Tati Bernardi

No Comments Yet.

Leave a comment