O Infinito.

O Infinito

Na infinita escuridão fria do silêncio o Cosmos.
Não há vida nem há morte, eterna transformação.
Espaço imenso entre os corpos, energia sem fim,
Diferente da terra, inexiste o tempo. É eterno.
Existe só na cabeça do homem, por alguma razão.

Dos nove rodeando o sol, a vida despontou no azul.
E, inadequada, foi logo dizimada, de norte ao sul.
Alguma coisa saiu errada e começou tudo de novo.
Na concepção do homem, a fauna era grande demais.
Agora, é recomeçar pela semente e tamanho do ovo.

Agora recalculando certo, manteve-se a proporção.
Como estava, o homem não resistiria à extinção.
Só falta o sopro da vida, no modelo feito de barro.
Ele, ela, felizes, não precisavam nada, nem roupas.
Mas faltava alguma coisa que precisavam descobrir.
A fonte era vermelha, como uma maçã, era só abrir.

Saciando-se com a fruta, agora sem roupa era feio.
A dádiva do conhecimento, teve um preço doloroso.
Junto veio, a fome, o frio, o medo, a dor, o suor,
A tristeza, o tédio, em seguida o trabalho árduo.
Também, o perdão, o amor, a luz, alegria e o gozo.

Eram quatro, agora três. O mais novo caiu na inveja.
Assim, conheceram o primeiro luto e assassinato.
Mas o domínio sobre a terra cresceu e se espalhou.
Em cada canto, quente ou frio, muita gente apareceu.
Mas, o que acontecia entre eles, era ruim e piorou.

De novo, algo deu errado e pra consertar, muita água.
Procurou-se trazer para o barco coisas selecionadas.
Aos pares, foram chegando bichos de todos os lados.
Pois eram todos esses o que de bom havia sido criado.
Portas são fechadas, hora de partir ou ficar parado?

No mundo, gente como a gente surgiu. Muita pesquisa.
Mas da criação inteligente vem alegrias e também dor.
Curam-se doenças, e é gente que não tem aonde por.
Está chegando a hora de novas mudanças e conceitos.
A terra, exaurida, não tem como, tanta coisa repor.

São tantos os negros buracos que um come o outro e
Comem estrelas, e comem planetas, e comem cometas,
Comem satélites, e comem asteroides e também poeira,
Até não ter mais o que comer e centrado num ponto,
O Big Bang-n ocorre, expande e começa tudo de novo.

B.Milan

No Comments Yet.

Leave a comment